Testes para determinação de Diabetes

Mais de 220 milhões de pessoas em todo o mundo têm diabetes, e este número provavelmente poderá mais do que dobrar até 2030 se não houver intervenções1. Nos Estados Unidos, o diabetes é a sétima principal causa de morte e recentes levantamentos estimaram que os custos anuais associados com os cuidados crônicos das complicações do diabetes no país excedem US$ 174 bilhões2. As estimativas atuais demonstram que aproximadamente 57 milhões de pessoas nos Estados Unidos estão pré-diabéticas. Recentes pesquisas mostraram que alguns danos prolongados ao corpo, especialmente o coração e sistema circulatório, já podem ocorrer durante a pré-diabetes3

 

O diagnóstico do diabetes é feito principalmente por meio da detecção da hiperglicemia. Existem muitas ferramentas no arsenal de testes diagnósticos relacionado a diabetes. Os ensaios relacionados a diabetes são realizados por diversas razões em muitos diferentes tipos de pacientes.

  • Diabéticos recém-diagnosticados: Para ajudar a determinar se sofrem de diabetes tipo 1 ou 2, quando as indicações clínicas não são conclusivas.
  • Diabéticos tipo 2: Para monitorar e ajustar terapias.
  • Todos pacientes diabéticos: Para avaliar nefropatias diabéticas por meio da determinação dos níveis de albumina urinária.
  • Mulheres na pós-menopausa: Estudos indicam que este grupo pode ter um aumento do risco de mortalidade cardíaca se houver um nível elevado de albumina urinária.
  • Mulheres diagnosticadas com síndrome de ovário policístico: Esta síndrome afeta 6 a 10% de todas as mulheres, sendo que metade delas apresentam resistência à insulina. Estas mulheres com resistência à insulina possuem alto risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2. Um nível de insulina elevado juntamente com a hiperglicemia poderia indicar uma resistência à insulina.

 

Diabetes Tipo 1:
- Antigamente denominada “insulina dependente” ou diabetes “juvenil”
- Doença autoimune que causa a destruição de células beta-pancreáticas, que são responsáveis pela síntese e secreção de insulina.
- Responsável por 5 a 10% de todos os diabéticos.

 

Diabetes tipo 2:
- Antigamente denominada de “Não insulina dependente” ou “diabetes do adulto”.
- Causada pela resistência à insulina ou pela secreção inadequada da insulina.
- Responde por 90 a 95% dos casos de diabetes em países desenvolvidos.

 

Pré-Diabetes:
- Pacientes com piora nos níveis de tolerância à insulina e piora nos níveis de glicose em jejum.
- Indivíduos que apresentam níveis de glicose sanguínea mais elevados do que o normal, mas não suficientemente elevados para serem classificados como diabetes.
- Indivíduos com pré-diabetes apresentam um risco maior de desenvolverem diabetes tipo 2, doenças cardíacas e AVCs 4.

 

A Siemens Healthineers oferece uma grande variedade de ensaios relacionados a diabetes que ajudam na diferenciação do diabetes tipo 1 do tipo 2, para monitorar o controle glicêmico do diabético e para acompanhar a progressão da doença.

 

Monitore precocemente com os testes para diabetes da Siemens Healthineers.

 

  

1. World Health Organization (who.org)
2. American Diabetes Association (www.ada.org)
3. American Diabetes Association (www.diabetes.org)
4. National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (www.diabetes.niddk.nih.gov)